29.10.05

Interior do Ceará

Interior do Ceará

O meu bisavô era cabra macho dono de muitas terras no interior do Ceará, num lugar chamado Morada Nova. Quando ele tinha não-sei-quantos anos um raio caiu na cabeça dele mas ele não morreu não...foi ser tratado no Rio de Janeiro e voltou para tomar conta de seus negócios. Ele mandou o meu avô estudar medicina na Bahia e lá meu avô conheceu minha avó, voltaram pro Ceará, casaram, tiveram filhos e meu avô foi construir um centro médico no interior. Aí ele aproveitou e foi prefeito de Morada Nova por 2 mandatos. Claro que depois veio todo mundo para Fortaleza e aí é outra história.

Bem, tudo isso pra dizer que eu fui pela primeira vez em Morada Nova. Foi preciso um senhor (primo muuuuuuito distante) escrever um livro sobre as famílias fundadoras da cidade para eu ir até lá. Eu e uma boa parte da família.

No caminho se vê muitas árvores secas, pequenas fazendas e sítios. A cidade mesmo é só a praça principal com a igreja (é claro) e umas 3 ruas adjacentes (uma delas com o nome do bisavô). O calor era grande e é uma pena que a cidade não seja arborizada (mas era, eu vi nas fotos). Hoje devia ser o dia de trazer a colheita e fazer trocas e compras porque tinha uma fila de paus-de-arara causando um engarrafamento na rua principal. E muitas, muitas motos.... É uma região pobre, mas a pobreza rural tem um que de ingenuidade, dignidade e solidariedade.

O tal evento era uma missa, onde o padre fez o favor de informar que humilde vem de húmus (??? eu logo imaginei minhocas....na cabeça dele), e um coquetel de lançamento do livro.

Até hoje eu não tinha nenhuma pretensão literária, mas depois que eu descobri que existe a Academia Moradanovense de História e Letras, um grupo seleto de 10 pessoas, me veio um desejo misterioso de querer usar o babador roxo com detalhes dourados que é o uniforme da AMHL.

A Tia Helo não é dessa família (a dela é do Matogrosso). Mas acho que a Tia Helo mandou "eles" falarem com a minha mãe porque ela teve uma recaída católica e até comungou.

25.10.05

Ceará

Ceará

Da Bahia para o Ceará. Nem sei mais se estou indo ou voltando. A vida com uma mala pequena.
Eu estou em Fortaleza, cidade do sol e do vento. Aqui faz calor, muito calor, mas a brisa constante camufla a temperatura e nos deixa a vontade (na sombra).
Fortaleza é uma cidade mutante. Aqui derrubam prédios velhos (as vezes históricos), constroem prédios novos (o lema aqui é destruir para construir), mudam o sentido das ruas.... Depois de seis meses fora já mudaram tantas coisas que as vezes eu até perco o ponto de referência. Já foi pior (antes bastava um mês fora para trocarem o sentido das ruas), acho que isso indica que, finalmente, algumas coisas vieram para ficar(pelo menos mais de 6 meses) e que chegaram a uma conclusão no planejamento urbano. A única coisa aqui que não muda é o cearense....

Bom mesmo é ver os amigos!!

A Tia Helo? Ela ia gostar mesmo era de Juazeiro do Norte, onde tem a estátua do Padre Cícero.

19.10.05

Bahia 2

Bahia 2

Vocês já sabem que a Tia Helo é apreciadora de junk food. A comida baiana não é junk mas é heavy.... então acho que ela ia adorar comer um acarajé bem recheado com uma cocada de sobremesa. Calorias não são um problema para ela.

A Bahia, Salvador na verdade, tem algumas coisas que eu não entendo.
1. Como é que uma cidade que é destino turístico no Brasil (nacional e internacional) é tão esculhambada? O prefeito aqui parece só se importar com o asfalto (que é um tapete).
2. Por que todos os soteropolitanos (vai olhar no dicionário) acham que eu sou estrangeira? Só falam comigo bem devagar (mais do que o normal), bem alto e com muitos gestos como se eu não entendesse. As vezes eles até arriscam um portunhol, vai entender....
3. O excesso de axé music. Com tantos artistas da mpb bons aqui só toca esse entupimento de ouvido. Eu vi uma passeata de jovens católicos no centro da cidade, acompanhados de um trio elétrico tocando músicas religiosas em ritmo de axé, com as mulheres rebolando e até vendedor ambulante de cerveja. A Tia Helo ia ter certeza de que o fim do mundo chegou.

Algumas coisas eu gostei bastante. Uma foi um grupo de mulheres tocando tambores subindo e descendo as ladeiras do Pelourinho, melhor que o Olodum. Outra foi outro grupo tocando tambores numa missa também numa daquelas igrejas do Pelourinho, cheia de turista (será que a Tia Helo ia aprovar isso?).

Amanhã eu me despeço da Bahia e vou para o próximo destino.....

17.10.05

Beata's fashion

Beata's Fashion:
Quem conhece sabe, Tia Helo tem uma singularidade para escolher suas roupas que eu carinhosamente chamo de beata's fashion.
Quando eram mais jovem,usava brincos,batons (pasmem) e perfume francês.O preferido é um antigo da givenchy que eu não lembro o nome mas que ela carinhosamente chama de givênchi.
Tinha paixão por sapatos,comprava um bando de pares e as vezes nem usava.Mas tinha que ter pois era fiel a um vendedor de uma loja que nem existe mais, a Polar. Como já deu para notar existe fidelidade em tudo que a Tia Helo faz, inclusive em suas futlidades.
As roupas...ai ai ai as roupas da Tia Helo.Vocês conhecem aquele modelito colégio interno da década de 60, blusinha de botão(não pode ser transparente) com saia reta abaixo do joelho, bem abaixo e mocassim marrom ou azul-marinho.
E aqueles casaquinhos que se chamam cardigans.Os tios do twin set.
E outra paixão da Tia Helo são os vestidinhos.Aqueles tipo noviça rebelde em dia de folga.
Como vocês podem ver, existe consumo em todas as áreas, inclusive no mundo religioso das beatas.

16.10.05

Bahia

Bahia

Vim passar uma semana em Salvador. A Tia Helo gostaria muito daqui, afinal dizem que tem 365 igrejas, uma cada dia do ano. A Tia Helo ia poder perturbar 365 padres diferentes. Por outro lado, acho que a Tia Helo não ia gostar muito da música axé e tudo que acompanha (muita gente rebolando e suando).

Mas eu adoro a Bahia. Confesso que mais as praias e a Chapada Diamantina do que a capital. Salvador é uma cidade grande, um pouco suja com construções históricas muito interessantes (mal conservadas) e excesso de axé music (confesso que odeio).

Aqui na Bahia tudo é lento. O motorista de taxi demorou mais de 40 minutos para percorrer 25km (sem trânsito). O menino do hotel explicou as coisas do quarto tão devagar que dava para eu tirar uma soneca no meio. E assim a gente se adapta e não se estressa porque nem adianta, nem vale a pena....meu rei...

14.10.05

Calorzinho Básico

Calorzinho Básico

Eu não sei como está o tempo onde vocês estão, mas aqui no Rio (tá, eu estou em Macaé, argh!) está fazendo um calor do inferno (ops! desculpa, Tia Helo). Olhei pro termômetro quase em choque: 39 graus, no limite da razão e sem brisa. O que aconteceu com os agradáveis 25 graus que vinha fazendo nas últimas semanas? Máximas de 30 e mínimas de 18/20? E olha que ainda estamos em outubro! Ai, que saudade do friozinho....

Deve ser algum efeito do aquecimento global. Está acontecendo prá todo lado: furacões, tufões, tsunamis, enchentes...Pensando bem um calorzinho infernal (ops! escapou!) é o de menos.

Tia Helo provavelmente diria: "Que aquecimento global que nada, foram 'eles' que puxaram o fio do ar condicionado da tomada!"

13.10.05

Interpol

Interpol

Se a Tia Helo não tivesse escolhido ser professora de português e beata, ela teria uma vaga garantida na Interpol. Tia Helo tem o dom de achar pessoas, e quando ela acha não saem nunca da sua mira.

Uma vez sua sobrinha favorita resolveu dar uma volta na Praça Saens Pena (é, meus amigos, a Tia Helo é local da Tijuca) com uma amiga e sua mãe disse para ela ir com a sua, hum, mais do que querida, Tia Helo. A sobrinha em estado de choque com essa tarefa logo saiu de casa,sem ninguém ver, com um head start de meia hora. Lá estava ela, a sobrinha, feliz da vida caminhando com a amiga entre as centenas, não, milhares de pessoas que transitam pela Praça quando ela escuta aquela voz fina e estridente lá looonge....

"Luuiiiiiziiiiiiinhaa...."

A sobrinha começou a correr no melhor estilo gato fugindo e a Tia Helo andando bem calma, assim como o Pepe Le Pew (o gambá), a alcançou e disse:

"Luiziiinha, você esqueceu o guarda-chuva, e agora vamos."

Alôôô pessoal da Interpol!! Chama a Tia Helo que vocês acham o Osama rapidinho.

11.10.05

PPC

PPC

A Tia Helo detém o título de rainha PPC, pelo simples motivo que ela é a PPC mais velha, em atividade, que eu conheço. PPC? Passional, Possessiva e Ciumenta. A Tia Helo não brinca em serviço. E olha que ela nem é filha única, aliás ela é uma em 14 irmãos e irmãs, numa família que faria Nelson Rodrigues corar - mas essa é outra história (e será contada).

Como a Tia Helo é celibatária, e ela tem que aceitar que Jesus não é homem para uma só pessoa, os grandes alvos da sua PPCzice são as suas sobrinhas.

Uma vez eu fui comer o almoço "saudável"(a tal pizza de muzzarela purificadora) da sexta-feira na casa da sua sobrinha. Ao me ver entrando ela simplesmente me deu as costas e não falou comigo. Aquele era o dia dela, a comida dela, as sobrinhas dela...ai de mim invadir esse espaço.

Uma demonstração clássica foi quando a sobrinha favorita comprou balas para a sobrinha-neta da Tia Helo. Ela, então, resolveu rivalizar com a menina de 10 anos exigindo ( notem bem o 'exigindo') um pacote de balas só para ela.

E agora que suas sobrinhas tem outras preocupações a Tia Helo ainda exige mais atenção (através do telefone, insistente), consegue e não tá nem aí pro resto do mundo. PPC profissional.

9.10.05

Voto NÃO

NÃO

A Tia Helo não possui armas, nunca possuiu, nunca precisou. Qualquer assaltante que invadisse o apartamento dela ou ia morrer de raiva ou ia morrer em consequência dos inúmeros fungos e bactérias que habitam o ecossistema particular dela. Mas acho que ela gostaria de saber que, se quisesse, poderia comprar uma arma legalmente, e isso não é fácil porque além de já existirem leis que regulamentam essa compra e a posse, não se acha armas no shopping e nem em lojas no centro da cidade. Aliás é mais fácil comprar uma ilgealmente e a proibição ao comércio só vai aumentar esse mercado.

Eu sou a favor do desarmamento (principalmente dos bandidos), sei que quem não sabe atirar corre mais risco com uma arma na mão, mas esse tem que ser um processo educativo e não proibitivo. O dinheiro gasto pelo governo nesse referendo onde o que é relamente colocado em pauta é o direito do cidadão (a ligítima defesa, de comprar ou não uma arma, de decidir, etc.), deveria ter sido aplicada no policiameno preventivo, na requalificação das polícias, na reforma da justiça, na educação....a lista é longa.

Por isso eu vou votar NÃO à proibição do comércio de armas de fogo. E a Tia Helo também, afinal ela sabe o que "eles" estão querendo.

7.10.05

(Sexo) Shhhhhh!

(Sexo) Shhhhhh!

A Tia Helo não sabe nada de (sexo). Ou pelo menos eu acho que não. Ela é celibatária.... há décadas. Nos últimos meses ela iria se orgulhar de mim. Não tenho intenção NENHUMA de bater o recorde dela, afinal a Tia Helo é muito apegada ao seu hímen. Mas quando numa aula de ioga eu começo a suar mais por pensar em atos, hum, digamos, naturais com o professor (só porque ele estava pegando na minha barriga para ensinar a respirar) do que pelas posições difíceis, é sinal que a Tia Helo precisa ter muita, muita, muita vergonha de mim.....pra já!

5.10.05

Nóia

Nóia

Primeiro vem o preconceito, depois a desconfiança e por fim a paranóia. Geralmente é assim que funciona. A paranóia só era atingida por poucos, e esses eram taxados de loucos. Hoje parece que é um estado coletivo, foi alavancado ao status de normal devido a situação atual de violência e terrorismo. Os americanos que o digam, uma nação de noiados.

A tia Helo já está nessa há muito tempo, afinal ela é uma visionária (no duplo sentido mesmo)e sempre soube que "eles" existiam. Mas antes "deles" aparecerem (ou não) ela desconfiava de suas irmãs. Tia Helo nunca comprou um apartamento com medo que algumas delas envenassem o feijão para ficar com a herança.

4.10.05

Imagem


Para vocês que estão curiosos para ver uma foto da Tia Helo, aí está ela no auge da sua juventude, antes "deles" aparecerem com tanta frequência. Nessa fase ela sempre conseguia desmascarar o sobrenatural, mas hoje ela abraçou a causa, além de ter encontrado o "my preciousssssss".

2.10.05

Cinema

Cinema

A Tia Helo gosta de cinema, mas é claro que depende do filme. Ela, obviamente, aprecia os filmes religiosos (Os 10 Mandamentos, etc...) e não tão obviamente os desenhos animados (Tom & Jerry é um dos favoritos, acreditem, ela é da época que eles passavam no cinema). Tenho certeza que se ela fosse ao cinema hoje em dia ela seria a primeira nas sessões de estréia dos filmes do Padre Marcelo.

Essa semana eu fui ao Festival Internacional de Cinema do Rio. Consegui comprar ingresso para ver 3 filmes. O primeiro foi Crash, um fime com várias histórias nas quais os personagens vão se encontrando, e é sobre preconceito. Gostei desse filme. A Tia Helo provavelmente não gostaria, tem muito palavrão, violência....ela teria dito "Ai, Jesus" umas 150 vezes.

O segundo foi Os Reis de Dogtown, que eu adorei. É sobre os pioneiros do skate nos EUA. Tem muitas cenas boas deles descendo as paredes das piscinas na California, tem surf, tem muito rock n' roll, algumas drogas, adrenalina, e é uma história real. Vale a pena pegar o documentário em DVD para ver (Dogtown and Z-Boys). A Tia Helo também não ia gostar desse filme, pelo menos uns 273 "Ai Jesus!".

E o terceiro foi Last Days. Nesse eu tive a companhia da muito simpática Betty Lago e seus amigos. Esse filme é sobre os últimos dias do Kurt Cobain. E foi chato. Mas acho que não tem nada de muito interessante mesmo em 5 pessoas que ficam se drogando numa casa no meio do mato e o barato não passa nunca. Muito melhor ler a biografia, pelo menos dá para entender melhor a vida e a morte dele. A Betty também achou chato. A Tia Helo com certeza não ia gostar desse filme, mesmo tendo uma cena com 2 mórmons tentando converter os drogados. Ela diria uns 538 "Ai Jesus!" para Last Days.