30.5.11

Bogota



(Posts sem acentos por causa do teclado español)

Comecamos a viagem pela Colombia, e que surpresa boa foi Bogota. A cidade fica a 2400m acima do nivel do mar e faz um friozinho gostoso (14 a 20 graus) o ano inteiro, entao chegamos la agasalhados.

Por indicacao de nossos amigos, ficamos na Calle 93, perto do Parque 93, que eh uma pracinha com muitos restaurantes e bares em volta.

parque da 93

Bogota eh uma cidade cheia de pracas, parques e muito verde. Os predios sao quase todos revestidos com tijolinho e isso da uma uniformidade a cidade. A Candelaria, o centro da cidade e bairro mais antigo, tem predios pequenos, ruas estreitas e aquelas sacadinhas de madeira que tambem vi em Lima.


tijolinhosItálico

Em Bogota chove bastante, mas so pegamos chuva pela manha, a tarde ja tinha um por do sol bonito.

chuva e sacadinhas

Fomos a Candelaria com as amigas Vanusa e Ana, que moram em Bogota e nos levaram para conhecer o Museu do Ouro e o Museu Botero. Tomamos um café no Juan Valdez (a Starbucks da Colombia), e demos uma volta pelo centro.



monalisa fofinha do botero

com as amigas

As ruas e avenidas de Bogota nao tem nomes, sao todas numeradas. De Sul a Norte (as carreras) e de Leste a Oeste (as calles). E entre as ruas de numero inteiro tem as subruas, assim: tem a rua 18 e a 19, mas entre as duas tem a 18A, 18B, etc.

O transporte publico se resume aos taxis, que sao mini carros (mas tem maiores) que mal cabem 3 pessoas, e aos micro onibus (conhecidos como busetas). Estao construindo um corredor de onibus, o Transmilenio, que por enquanto so funciona em uma das carreras. E a cidade esta cheia de ciclovias, a pesar de nao ter visto muitos ciclistas.

Itálico

engarrafamento de busetas

mini taxi

Depois do passeio pela Candelaria fomos passear pela zona T, uma área com muitos restaurantes e bares, todos cheios. Fomos ao Andres D.C. um restaurante grande, com 4 andares, e cada andar com uma decoracao interessante. Nos ficamos no Purgatorio. Claro.

um drink no purgatorio

Os colombianos sao muito educados e prestativos. A cidade eh limpa, cheia de policiamento e seguranca. Bogota esta cheia de obras, desde as vias ate o aeroporto, quem ve essa preparacao toda acha que a Copa do Mundo vai ser la.

25.5.11

Mala pronta

A mala está pronta para mais uma viagem por aí.

Uma aventura pela América Central.




Aguardem notícias.

24.5.11

Momento TOC: Séries - final de temporada

The Office - Então o Michael saiu e entrou o Will Farrell no lugar, mas só por um episódio. Não o achei tão engraçado. O Dwight teve seu dia de gerente, mas não segurou a onda (tinha até uma piranha num aquário). Creed foi o melhor gerente EVER! O episódio final com as entrevistas para o novo gerente foi ótimo. Teve o James Spader, ótimo, fazendo um cara super confiante (até me lembrou o Don Draper), Will Arnett tentando enganar, Ray Romano, Ricky Gervais fazendo David Brent numa entrevista no computador direto da Ingalterra, e até o Jim Carey apareceu rapidinho, porém, se o Andy Bernard for o próximo gerente não sei se vou continuar assitindo.

Parks and Recreation - Teve o melhor casamento das séries esse ano, e o que foi o Ron brincando com o Lil' Sebastian (RIP)? E o funeral do querido pônei, ops, mini-cavalo? Senti todo o terror do Ron ao tentar saber o que a Leslie tinha preparado para o seu aniversário. A melhor decisão que o Rob Lowe fez foi entrar nessa série, ele acertou o personagem do chefe empolgado. Aliás, uma sugestão para o pessoal de The Office: faz uma entrevista com o Ron!

Community. Clap, Clap, Clap. Excelente temporada, com tantos episódios bons que nem sei escolher um. Foi o do documentário? O do flashback? O de Dungeons and Dragons? O das drogas? O pulp fiction? E episódio final (em duas partes) do paintball foi GENIAL. Jeff, eu queria dizer que com o Sawyer nesse jogo, ninguém olhou para você. Enough said. (Eu coração Sawyer)

Hawaii 5-0 - minha série pipoca favorita. O McGarrett não me decepcionou nenhuma vez nessa primeira temporada, a dupla dele com o Danno continua firme, e aquele to be continued só me deixou ansiosa pela próxima temporada.

Justified - Nem sei se já falei dessa série por aqui antes, mas comecei a ver porque tinha o Timothy Olyphant e gostei. É sobre o marshall Rayland que volta a sua cidade natal, interiorzão americano, cheia daqueles marginais que falam arrastado. Essa segunda temporada teve uma vilã digna e algumas reviravoltas na vida do Rayland Givens. Vale a pena. (pessoal do Emmy, prestem atenção nessas séries do FX, Timothy Olyphant e cia, e os motoqueiros de Sons od Anarchy merecem)

The Good Wife - uma segunda temporada impecável, acho que é o melhor drama na tv aberta americana. Esse final de temporada com a Alicia tomando uma posição foi demais! Go Alicia.

Glee - ainda divertida, mas essa temporada teve alguns episódios que achei chatérrimos. Acho o Kurt um excelente personagem, mas detesto quando ele canta, não curto aquela voz de tia velha que ele tem. #prontofalei Mas adoro o Blaine, namoradinho do Kurt, esse sim teve os melhores momentos. Algumas músicas nessa segunda temporada foram melhores (eu gostei do episódio Rumours com músicas do Fleetwood Mac). Ainda não vi o episódio final, mas confesso que, apesar da Sue Sylvester, estou pensando em abandonar.

Fringe - excelente! Nessa temporada tivemos ambos os mundos intercalados e muita coisa aconteceu. Walter continua sendo o melhor personagem da série, seja no lado de cá, ou no lado de lá. Confesso que não entendi muito a finalzinho do episódio final (Como assim careca?), mas foi uma surpresa tão boa quanto o "we have to go baaaack" de Lost.

Grey's -teve até um episódio musical, um episódio em tempo real (muito bom), casamentos, e intrigas pelo cargo de residente chefe. A temporada foi boa e o final com menos emoção.

House - até a entrada da Masters eu estava achando a temporada um porre, depois melhorou muito. House is back on drugs e aí fica tudo mais divertido. O episódio da saída da Masters, a volta da Thirteen e o que a Cuddy descobre que ele voltou as drogas foram ótimos. E no fim o House faz o que muita gente tem vontade de fazer. Só uma coisa: alguém se importa com a vida do Taub??

The Vampire Diaries - Guilty pleasure das boas. Essa série surpreendeu outra vez na segunda temporada, trouxe o vampirão Klaus e sua turma, teve lobos e o Vampiro Damon (aka Boone de Lost) está mais canastrão que nunca. Never a dull moment.

The Event - no começo eu achei que ia ser um Flash Forward outra vez, melhorou da metade para o final, mas foi cancelada. Os ETs não deixam barato, até destruiram o Washington Monument.

How I Met You Mother - ainda não sabemos que quem é a mãe, mas conhecemos o pai do Barney. 30Rock teve episódio ao vivo, episódio duplo, muito nonsense, e até o Jack teve uma filha, no Canadá. Modern Family manteve a graça. The Big Bang Theory, cansei um pouco dos nerds, foi um temporada sem muitas gargalhadas para mim.

Dexter acabou em janeiro, e foi uma temporada muito boa. Eu ainda acho o Trinity o melhor serial killer que a série teve, mas o Jordan Chase foi muito bom, e o Dexter namorou um pouquinho.

Sons of Anarchy - série boa! Terceira temporada fechadinha, com direito até uma aventura dos motoqueiros na Irlanda do Norte.

Mad Men. Essa quarta temporada não foi tão impecável quanto a terceira, mas ainda assim foi excelente. O episódio The Suitcase foi uma beleza de ver, e Don Draper ainda é o meu crush do momento.

Na linha novelões, Brothers and Sisters ficou chata demais e foi cancelada, e Parenthood ficou legal. Ponto para os Bravermans.

E Friday Night Lights, minha série teen preferida acabou. Foi bonito o final.

True Blood vem aí para a quarta temporada. Se for que nem o quarto livro vai ser ótimo, e com muito vampiro Eric para a gente ver.

17.5.11

Jardim Japonês (4) a visita




Depois da inauguração, eu ainda não tinha ido no Jardim Japonês. Então, hoje, peguei a máquina e fui ver se por dentro era muito diferente do que por fora.

Não é.


rampa da entrada com a parede de plantas (aka paisagismo vertical)


vista geral do jardim

O Jardim Japonês abre de 10:00 as 22:00. De 10 as 16 é praticamente inviável a visita, como o jardim não tem árvores altas, se tiver sol vai estar quente demais, e se estiver chovendo só tem o pagode para proteger. Eu fui as 16:30 e ainda dava para sentir o calor do concreto e do granito. (até as 9:30 tem uma sombra boa dos prédios, mas o jardim está fechado)


Até agora não sei qual foi a intenção da criação desse espaço, além de homenagear os japoneses.



espaço para.... não sei

Alguma pessoas estavam andando pelo jardim, outras sentadas nos bancos onde fazia sombra (dos prédios), uns adolescentes estavam tirando fotos e três casais estavam discutindo a relação, cada um num canto do jardim (acho uma boa uitlização do espaço).

A minha volta no jardim durou 10 minutos, parando muito para bater fotos. A cascata estava funcionando, mas não tem peixes no laguinho.


alôôô carpas??





cascata

As plantas estão verdinhas e os bancos pintados. Tem uma parede de bambu e algumas esculturas esquisitas espalhadas pelo jardim. A prefeitura disse que a manutenção vai ser feita por uma empresa privada.


bambu



totem?

bonsai?
o portão vermelho


Me impressiona que com o dinheiro e tempo gasto para a construção desse jardim, ninguém pensou em colocar um banheiro público.

O jardim ainda é novidade, a tarde e a noite sempre tem gente por lá. Quero ver daqui alguns meses como vai estar.

e nada de sair fogo dessas colunas




Jardim Japonês (1), (2) e (3)

10.5.11

E o cd saiu

Há 4 anos eu gravei um cd com 19 músicas e coloquei no player do carro. O player deu um defeito e o botão de eject não funcionava, ou seja, por pura preguiça de consertar o player, esse cd ficou no carro nesses 4 anos.

Eu rodo pouco no carro, só por perto e gosto de escutar o rádio, mesmo que aqui na cidade só tenha uma ou duas estações que sejam boas. Nesses 4 anos eu acabava escutando o cd mais quando o rádio estava insuportável ou quando queria escutar alguma música do cd.

O cd tem bandas novas (Killers, Keane, Radiohead, Dandy Warhols, Magic Numbers, Kings of Leon), bandas dos anos 80 (The Cure, U2, Pretenders), anos 90 (Nirvana, Pearl Jam, Greenday, Sublime), anos 70 (Fleetwood Mac e Paul McCartney) e Beatles, é claro. E, óbvio, uma gulity pleasure com Pop! Goes My Heart (eu adoro o Hugh Grant). Tem até uma música do Wilco.

Com essa variedade é um cd ótimo para momentos específicos como:
- Ah, quero uma música animada: Friday I'm in Love, Is It Any Wonder
- Momento fossa: Dreams, Either Way
- Momento Road Trip: Band On The Run, California Waitin', Cool Scene, In Hiding
- Momento preciso ouvir a voz do Eddie Veder: Thin Air

Então, hoje de manhã eu saí, a rádio estava tocando MPB, e eu quis escutar Basket Case, música número 15, ótima para malhação. Coloquei nela, começou a tocar e deu erro, isso acontece quando passo num buraco, e voltou a tocar. Aí deu outro erro e o player foi para o rádio. Quando olhei o cd estava para fora do player.

Parei o carro. Momento WTF? (para esse momento o cd não tem uma música)

Fiquei olhando como se fosse um fantasma. Quase enfiei o cd de volta. Acho que depois de 4 anos o carro disse "Basta!" e cuspiu o cd. Free at last.

Ok, eu vou gravar um novo, que provavelmente ficará preso mais 4 anos, mas já estou com saudades desse.

5.5.11

Momento TOC mulherzinha: Leitinho



Volta e meia eu escrevo aqui no blog que algum ator, ou atleta, australiano tomou leitinho. Nunca expliquei de onde veio essa idéia, então aqui vai.

Desde criança eu queria conhecer a Australia, não sei porque. Estudei em escola internacional, mas nunca com australianos. Anyway, eu só fui conhecer australianos viajando pelo mundo e sempre conversava com vários querendo saber o que tinha lá na Australia.

Em uma dessas viagens eu estava sentada do lado de fora da Basílica de São Pedro, em Roma, esperando uma amiga, e do meu lado sentou um coroa bonitão (que na época devia ter uns 45 anos, então era coroa para mim), esperando a família, e logo depois sentou um mochileiro, com sua mochila e aquele ar aventureiro. Papo vai, papo vem, os dois já tinham viajado bastante, e ambos eram australianos. Foi uma das melhores conversas com estranhos que já tive (e eu tenho muitas dessas).

No ano seguinte uma amiga tinha terminado um namoro e estava indo para Londres. Eu disse: "Fica triste não, lá você vai conhecer um australiano bonitão", e ela perguntou "porque australiano?", e eu disse "Ah, eles tomam um leite especial.".

Dois dias depois dela chegar em Londres, ela conheceu um australiano de Melbourne. O namoro durou 3 anos, e eu conheci alguns amigos dele já começando meu banco de dados para provar minha tese do leite.

Em 2000 fui para ver as olimpíadas e passei 5 semanas na Australia, fazendo pesquisa in loco.

Pode ser a descendência dos bad boys ingleses, escocêses e irlandeses, afinal a Australia era uma colônia penal, ou a cerveja, ou o outback, ou o mar com tubarões, ou até o leitinho, então aqui está uma pequena amostra.

Chris Hemsworth, o Thor. Depois que vi o fime fui no IMDB para saber se ele era sueco, ou dinamarquês, ou norueguês, mas não, ele tomou leitinho e é Australiano. Óbvio.


até sem o martelo

Liam Hemsworth, irmão do Chris. Pelo jeito lá na Australia o leite rende bem na família inteira.

surf's up


Animal Kingdom, filme de 2010, trouxe uma família de bandidos australianos. Olha aí os dois tios e o sobrinho.

tio craig (sullivan stapleton)


tio barry (joel edgerton)


joshua (james frecheville)


O meu, o seu, o nosso Wolverine, até a Oprah baba por ele.

hugh jackman *suspiro*


Ah, o navy seal de Hawaii 5-0, Alex O'Loughlin, claro, tomou leitinho.



Eric Bana, o Hulk, Heitor de Tróia, Henrique VIII, e Agente da Mossad em Munich. Ele deveria fazer mais filmes.



Heath Ledger, RIP, o cowboy de Brokeback Mountain e Coringa, também foi criado com leitinho.

why so serious?


E o querido Dr. Chase de House, com sotaque.

jesse spencer


E não é só Hollywood que descobriu que os mates tem potencial, aqui dois atletas favoritos.

lucas neill que fez bem aos olhos nas duas últimas copas

eamon sullivan, nadador


Um bonus com Guy Pearce e Sam Worthington, que nasceram na Inglaterra, mas tomaram muito leitinho, moram desde criança na Australia, e merecem estar nessa lista.

de priscila, a rainha do deserto, para o mundo

da australia para pandora


E eu não podia deixar de fora dois que, apesar de também não terem nascido da Australia, foram criados por lá e tomaram o leitinho, mesmo que, hoje em dia, já não tem tanto potencial assim.

mad max e braveheart, o americano mel gibson

e quem mais ia fazer o gladiador? o kiwi russell crowe



G'day!

3.5.11

Thor


E a formação dos Vingadores continua, agora foi a vez do filme do Thor. No fim do Homem de Ferro 2 o Agente Coulson estava lá no meio do deserto encontrando o martelo do loirão.

Pelo que entendi, existem 9 reinos no universo e um deles é a terra. Deve ser o piorzinho porque os povos dos outros reinos vem fazer guerra por aqui. E lá na Noruega (daí explica toda a mitologia nórdica).

Asgard é o reino mais poderoso, é lá que mora Odin (Anthony Hopkins), pai de todos.

O Thor (Chris Hemsworth que vale cada centavo do ingresso, tomou leitinho) é filho de Odin, e tem um irmão, Loki, que também quer ser rei. Thor está quase colocando a coroa na cabeça quando os gigantes azuis (quase avatar) gelados de Jutenheim (outro reino) invadem a sua festinha.

Thor, loirão, convencido, arrogante, deus dos trovões, de posse do seu martelo poderoso, resolve juntar seus amigos (ótimos!) e ir até Jutenheim dar um jeito nos azulões. Odin não gosta nada disso e decide castigar o Thor mandando ele para onde? Para Terra, é claro. Odin também manda o martelão na cola, just in case, mas tem uma pegadinha.

Thor é socorrido pela Jane (Natalie Portman) junto com Erick, o cientista sueco e a Darcy, o alívio cômico do grupo e primeira a se oferecer para um boca a boca no Thor (esperta!). O Viking vai atrás do seu martelo, já dominado pelo agente Coulson e se dá mal. Seu irmão Loki vem para uma visitinha e diz que Odin morreu e depois manda um robô destruidor, muy amigo. Coitadinho do Thor.

Que nada. Um loirão daqueles não ia deixar por isso mesmo né?

Eu gostei desse filme, tem o Thor desfilando sem camisa, tem piadas ótimas, mencionam o Tony Stark e o Bruce Banner, o Hawkeye aparece rapidinho, o casal central tem química, e é muito divertido.

Da turma dos Vingadores, o meu preferido ainda é o Homem de Ferro, queria muito ser amiga do Tony Stark.

A Tia Helo, however, não devia curtir muito essa história de mitologia nórdica, mas acho que ela ia gostar o Thor, pelo menos uns 326 "Ai, Jesus!" para ele sem camisa.

Ainda tem o Capitão America vindo por aí.

1.5.11

Corrida de domingo


Depois de 1 mês voltando, aos poucos, aos treinos de corrida, hoje fui correr os 5km da Pague Menos.

Ano passado essa corrida foi no Parque do Cocó e tinha 1500 inscritos. Esse ano foi aqui na Beira Mar e tinha 5000 (cinco mil!) corredores. Confesso que prefiro fazer essas provas em outros lugares, já que corro a Beira Mar quase todo dia, mas é o único lugar da cidade que comporta esse tanto de gente.

Dessa vez fecharam a rua, decisão acertada. Era um mar de gente.

A largada foi pontual, as 7 da manhã, e, depois de uma semana com tempo nublado e chuva fina, o sol resolveu aparecer, muy amigo. O tempo estava abafado, 28ºC as 6:30 da manhã, quente, mas consegui correr todo o percurso. Devagar e sempre, claro.

No fim da corrida, junto com a medalha, davam kits com frutas. No de todo mundo tinha uma banana, uma maçã e um pedaço de rapadura. No meu veio a banana, a rapadura e uma camisinha. Oi?