28.1.16

+Filmes

MacBeth

Michael Fassbender está ótimo nessa adaptação da peça do Shakespeare sobre o monarca que, depois de saber de uma profecia de umas bruxas, faz de tudo (incentivado por sua esposa evil Lady MacBeth) para ser o Rei. E depois de ver uma temporada inteira de Outlander (mais alguns filmes tipo Braveheart e Rob Roy) sei do que um escocês é capaz (ui ui ui).

Acontece que a coroa vem com uma dose de paranóia.

Esse filme é todo com falas da peça de shakespeare, falado naquele inglês antigo com sotaque escocês, ou seja, tem que ler a legenda. Tirando a Lady MacBeth que é interpretada pela francesa Marion Cotillard, e o Fassbender que falava um pouco mais claro, eu não entendia mais ninguém.

É um filme interessante. Fassbender saindo molhadinho do lago gelado vale o ingresso.

A Tia Helô ia até se identificar com tanta paranóia. 217 "Ai, Jesus!" para o MacBeth e suas amigas bruxas.


Creed 

Esse é o sexto filme da série do Rocky Balboa e é melhor aproveitado se você viu, pelo menos, os 4 primeiros.

Nesse filme o filho ilegítimo do Apollo Creed, Adonis, decide largar o emprego num escritório e ser boxeador. Ele quer fazer um treinamento old school e vai até a Filadélfia atrás do "tio" Rocky. E aí temos um roteiro clássico de filmes de esporte: treino, primeira luta, mais treino, namorada, momento "não vou fazer mais isso", obstáculo emocional, mais treino e luta final. Tudo muito bem feito, bem dirigido e com uma trilha sonora muito boa.

Sylvester Stallone é o Rocky Balboa e é digno como ele aceitou envelhecer nesse filme. Michael B Jordan (que acho ótimo desde Friday Night Lights) é um talento e esse filme certamente cresceu por causa dele.

Eu gostei. As escadas do Museu da Filadélfia estão lá, mas a subida nas escadas é um pouco diferente.

Sylvester Stallone foi indicado ao Oscar de ator coadjuvante. Merecido. E acho que esse filme poderia estar lá entre os melhores do ano.

A Tia Helô ia fechar os olhos em cada soco dado. 356 "Ai, Jesus!" para Rocky e Donny.

Truth

Os jornalistas do programa 60 Minutes da CBS foram atrás da história do George Bush, na época que ele era candidato a presidente, sobre seu serviço militar.

Depois que o programa foi ao ar os jornalistas foram acusados de terem usado documentos falsos e aí segue toda uma investigação sobre como as informações chegaram a produtora do programa.

A terceira temporada de The Newsroom foi sobre a mesma coisa. Ambos são bons, tanto o filme quanto a série.

Robert Redford faz o apresentador Dan Rather e Cate Blanchett faz a produtora Mary Mapes.

A Tia Helo não ia dar a mínima para essa fofoca toda. 15 "Ai, Jesus" para a fonte new times roman.


Anomalisa

Um filme feito em stop motion sobre solidão, mesmice, busca por algo diferente, e talvez amor. O Charlie Kaufman deve ter uma mente bem esquisita e de lá saem umas coisas estranhas tipo: Brilho Eterno De Uma Mente Sem Lembranças (ótimo), Adaptação (gosto), Being John Malkovich (muito bom), Synedoche NY (bizarro mas gosto).

Em Anomalisa o escritor de auto ajuda Michael Stone está indo para mais uma palestra sobre seu livro, a vida dele é mais do mesmo, e ele está passando por um momento filosófico. O interessante é que todas as outras pessoas tem a mesma voz: mulheres, homens e crianças. Michael está encasquetado com uma carta que recebeu de uma ex-namorada anos atrás quando terminaram o namoro e decide encontrar com ela. Esse encontro não vai nada bem e de volta no quarto o Michael escuta uma voz diferente e vai atrás de saber de onde vem.

É assim que ele conhece a Lisa que colore a noite com sua voz diferente. Bem, até o café da manhã.

A idéia do filme é boa, até o fato de ser filmado com bonecos parecidos em stop motion faz todo sentido, mas achei esse filme um pouco chato. Dormi umas 4 vezes no meio.

A Tia Helô não ia achar nada demais na vida depressiva do Michael. 143 "Ai, Jesus" para aqueles nudes pós-banho do boneco.

23.1.16

Momento Arts and Crafts

Como fazer uma fantasia do BB 8.

Eu não sou muito de carnaval mas gosto de ver as pessoas fantasiadas e gosto de quem se dedica a fantasia. Ano passado fui num bloco de carnaval aqui em Fortaleza onde todas as pessoas estavam fantasiadas e achei divertido. Fantasias criativas e inusitadas.

Então esse ano decidi ir nesse bloco outra vez e queria ir fantasiada. Mas de que?

(Geek mode: ON)

Lembrei que ano passado tinha um grupo fantasiado de Star Wars mas as fantasias eram todas caseiras e o grupo se chamava Istá Uós. Aí decidi que queria ser o android BB 8 e fui atrás de saber como fazer essa fantasia.

Depois de passear pelo google e youtube decidi unir duas técnicas que vi online. Uma era fazer a cabeça de isopor e a outra era pintar uma camiseta. Assim eu teria uma fantasia reconhecível, leve, confortável e barata.

Coloquei o pedaços do processo no snapchat e algumas pessoas perguntaram como fiz, então vamos lá:

O Capacete:

1. Comprei uma bola de isopor tamanho grande, dessas que usam para fazer o sol em trabalho escolar sobre o sistema solar, que a metade cabe numa cabeça.



Uma bola dá para fazer 2 cabeças de BB 8 ou uma do BB 8 e uma do R2D2.

2- Pintei uma metade com tinta branca (tinta de parede a base de água que tinha aqui em casa) e a outra metade de cinza (também com tinta que tinha aqui junto com um pó metálico). É mais fácil desenhar e pintar na tinta de parede seca do que direto no isopor.



3- Depois que a tinta secou desenhei com um lápis os contornos (usei alguns potes de plástico redondos e fita crepe para ajudar).



4- Com 2 tampas de plástico (de creme e de shampoo) fiz as lentes. Pintei de preto com caneta de CD e colei no isopor com cola branca.



5- Passei caneta preta nos contornos e pintei de laranja com tinta acrílica de tecido (aproveitando a tinta que comprei para pintar a camiseta) e a parte cinza com a tinta de parede que usei para pintar o outro capacete.




A Camiseta

1- Peguei uma camiseta branca de algodão no armário (tenho muitas).

2- Imprimi desenhos num papel A4. (peguei nesse site e fiz algumas adaptações)



3- Comprei tinta laranja e prateada e uma caneta preta para tecido. Pintar tecido é difícil. Tive que dar um jeito de manter a camiseta esticada e não foi fácil.



4- Coloquei o desenho embaixo e tracei por cima na camiseta. Primeiro com um lápis e depois com uma caneta de tecido preta.



5- Tem que pintar uma bola de cada vez e esperar secar antes de fazer outra. Não esquecer de colocar um papel embaixo do lugar que vai pintar porque a tinta atravessa o tecido. Fiz essa fantasia em 2 dias (demorou porque tive que esperar a tinta secar).




Para fazer o R2D2 é só repetir o processo (usando tinta azul e cinza).



O carnaval é em duas semanas, corre que dá tempo!


UPDATE: Ficou assim:


18.1.16

+Filmes

The Danish Girl

Um filme sobre a tranformação de Einar em Lili no início do século 20. Einar e Gerda eram um casal que se dava muito bem. Ela era pintora e travestia o marido para que ele se tornasse seu objeto mais conhecido em sua arte. Gerda fez sucesso com os quadros de Lili.

Acontece que Einar gostava de ser Lili, ele se sentia mais Lili do Einar e quando assume isso parte para uma transformação mais permanente.

O Eddie Redmanye faz Einar/Lili como uma delicadeza incrível. Foi merecida a indicação ao Oscar e merece muito levar a estátua para casa, outra vez. Alicia Vikander também foi indicada para atriz coadjuvante por esse filme, ela está muito bem (mas a prefiro em Ex Machina).

A Tia Helô não ia entender nada do que acontecia com Einar/Lili, 258 "Ai, Jesus!" para a garota dinamarquesa.


Hateful 8

Tarantino sendo Tarantino. Fotografia bonita, diálogos ótimos, violência quase de desenho animado e história dividida em capítulos. Um filme sobre 8 pessoas que acabam presas numa bodega no meio da nevasca. E é isso. Discutem um bocado, alguns morrem, a mulher (a ótima Jennifer Jason Leigh, indicada ao Oscar) sofre um bocado (mas está sempre bem humorada), Samuel L Jackson e sua fala-discurso, e o ótimo e meio desconhecido Walter Goggins (gosto dele da série Justified) roubando a cena.

Esse filme foi rodado em 70mm. O que isso significa? Para quem viu no Brasil nada porque não existe cinema aqui que reproduza esse tipo de filme, mas a fotografia deve ter ficado sensacional nos pouquíssimos cinemas que mostraram a versão original. Está concorrendo ao Oscar de melhor fotografia, claro.

Confesso que senti um pouco as 3 horas de filme e dei umas 2 cochiladas no cinema, mas gostei do filme. A trilha sonora do Ennio Morricone é muito boa, mas senti falta do um hit pop desenterrado da vez.

Tarantino não foi indicado a melhor roteiro original. Poxa pessoal do Oscar, que bola fora hein?

A Tia Helô ia ver esse filme com as mãos tapando os olhos. 629 "Ai, Jesus!" para os 8 odiados.


Steve Jobs

Sou pessoa consumidora da Apple. Dito isso, acho o Steve Jobs um chato. E deve ser essa chatice dele que fez com que tanta coisa acontecesse.

O grande talento do Steve Jobs era juntar as pessoas certas e fazer com que elas trabalhassem para atingir um objetivo imaginado por ele.

O Aaron Sorkin tirou leite de pedra com a história do Steve Jobs e conseguiu fazer 3 momentos da vida dele (lançamento de 3 produtos) interessantes além de costurar tudo com a história da filha que ele não queria assumir.

E o Aaron Sorkin não foi indicado a Melhor Roteiro Adaptado. Como assim pessoal do Oscar??

Achei esse filme melhor do que esperava. Michael Fassbender faz um Jobs genial e antipático muito bem. É redundante dizer que Kate Winslet está ótima. Ambos indicados ao Oscar.

A Tia Helo nunca usou um produto Apple e provavelmente não iria se interessar pelo drama do Jobs. 31 "Ai, Jesus!" pelos momentos detalhistas.

14.1.16

+ Filmes

As indicações do Oscar saíram hoje e gostei de ver Mad Max indicado em um bocado de coisa. Só senti falta da Charlize Theron em alguma categoria de atriz. Tem até um desenho animado brasileiro na parada. Também gostei de ver Ex Machina em algumas categorias. Star Wars merecia uma indicação a melhor filme só pela bilheteria monstruosa. Já escrevi sobre Mad Max, O Regresso, Spotlight, Brooklyn, Room e The Martian. A seguir mais alguns filme e mais 2 indicados a melhor filme.

Bridge of Spies

Um filme do Spielberg sobre a guerra fria. O muro de Berlim ainda está sendo construído e o babado dos espiões está com força total.

Um espião russo é preso nos EUA e os americanos (certinhos como só eles) querem dar um julgamento justo e indicam um advogado para defendê-lo. O Tom Hanks é esse advogado que é especializado em causas de seguro, portanto um ótimo negociador.

Acontece que um piloto americano é pego tentando tirar fotos do solo soviético e um estudante americano é pego do lado errado do muro. Cabe ao Tom Hanks negociar para trocar o russo pelos americanos.

Gostei desse filme. Foi indicado a Melhor filme, Trilha sonora Original, Desenho de Produção, Mixagem de Som e Roteiro Original. Não deve levar nenhum, mas foram indicações merecidas.

A Tia Helo iria ficar horrorizada com aquele pessoal tentando pular o muro de Berlim. 215 "Ai, Jesus!" para Tom Hanks e seus espiões.


The Big Short

Esse filme é sobre a bolha que deu origem a crise mundial de 2007. Essa crise começou com a bolha imobiliária americana. Um analista descobriu que tinha um furo no sistema de empréstimos/crédito imobiliários e decidiu investir contra os pagadores. Os bancos aceitaram o negócio porque nunca acharam que a inadimplência chegaria a tanto. (quanto mais inadimplência mais os bancos teriam que pagar ao analista). E na onda desse analista foram mais algumas pessoas que ganharam muito dinheiro.

É um assunto importante, o filme é feito de uma forma que tenta ser didática (e tenta ser engraçado, mas quem consegui rir com um negócio desses?), mas eu não gostei muito. Confesso que é um assunto que me irrita um bocado (tanto gente que entra em dívida para ter coisas que não vai conseguir pagar quanto o pessoal da bolsa que só joga com dinheiro alheio).

O pessoal do Oscar gostou. Indicaram a Melhor Filme, Diretor, Ator Coadjuvante (O Christian Bale que não faz grandes coisas a não ser ficar trancado na sala e tocar bateria, mas é ele que descobre o furo), e Roteiro Adaptado.

A Tia Helo ia dormir no meio do filme. 21 "Ai, Jesus!" para o blá, blá, blá financeiro.


Sufragette

Um dos absurdos da história é que as mulheres só foram ter direito a voto no fim do século 19 em um país (na Nova Zelandia) e na maioria dos outros no início do século 20. Bem início quase metade. Em alguns lugares como a Suíça as mulheres só tiveram esse direito na década de 1970 (!!!!).

Felizmente muitas mulheres lutaram por esse direito e conseguiram, mas não foi fácil e foi com muito sacrifício. Muitas foram presas, perderam direito a ver seus filhos e apanharam um bocado.

O filme conta a luta das inglesas trabalhadoras por seus direitos. É bem feito, tem a Meryl Streep, Helena Bonham Carter e a Carey Mulligan. Girl Power.

Acho que a Tia Helô gostava muito do seu direito a voto, 14 "Ai Jesus!" para as mulheres sufragistas.


Legend

Na Londres de 1960 o East End era dominado pelos irmãos gangsters Ronnie e Reggie Kray. Eles aterrorizavam (com um certo estilo) a área. O filme é sobre os dois, principalmente Reggie e sua namorada (e depois esposa).

Tom Hardy faz os gêmeos de um jeito que a gente sempre sabe quem é quem. Palmas para ele.

A Tia Helô ia ficar passada com a violência, mas são gangsters né? 452 "Ai, Jesus!" para Ronnie e Reggie.


12.1.16

David Bowie




O David Bowie era tão vanguarda que muitas pessoas só entediam (e algumas ainda vão entender) o que ele estava fazendo alguns anos depois que ele lançava um trabalho e uma nova persona. Já falei dele várias vezes sempre acompanhado da palavra gênio.

Aqui no blog já analisei uma música dele (Heroes), li um livro sobre suas músicas, e sempre digo que ele deveria constar em todas as trilhas sonoras de filmes. Pode procurar que sempre vai ter uma música do Bowie para a ocasião.

Ele está em todas as minhas playlists (as de corrida e de músicas para escutar no carro).

Se tenho uma música favorita? Não consigo escolher. Bowie anos 1970 é sensacional e essencial (foi sua fase mais produtiva), mas minha memória afetiva das músicas dele é dos anos 1980 - Let's Dance, Modern Love, China Girl, Under Pressure, Cat People, e Absolute Beginners.

David Bowie inspirou muitos artistas (visualmente e musicalmente) e muitas pessoas. Certamente é uma unanimidade. Todos adoram Bowie.

(e quem não conhece trata logo de pegar a discografia completa!)

Tchau Bowie, vai tranquilo nesse disco voador.


(esse gif fantástico é da Helen Green)

10.1.16

Analisando a música: You Oughta Know (Alanis Morissette)

Feliz ano novo gente! Para começar o ano teremos um post do tema mais querido dos leitores do blog.

Essa semana saiu uma notícia que a Alanis Morissette vai ter uma coluna de conselhos no jornal britânico The Guardian.

Aí eu lembrei de uma viagem que fiz com minha prima pelos EUA em 1996. Essa prima, que na época do tinha uns 13 anos, era über fã da Alanis Morissette, estava com Jagged Little Pill na mão o tempo todo, e tudo que escutei nessa viagem foi foi Ironic, Head Over Feet, All I Really Want, You Learn, Hand in My Pocket, Mary Jane e a analisada da vez You Oughta Know. Praticamente uma lavagem cerebral para eu gostar dessas músicas. E funcionou.

A Alanis Morissette é canadense, mesmo país que nos deu ótimos músicos como: Neil Young, Arcade Fire, KD Lang, Diana Krall, Rufus Wainwright e Joni Mitchell. (Também nos deu Celine Dion, Avril Lavigne, Justin Bieber e Michael Bublé, mas como não curto prefiro ignorar).

No começo da carreira a Alanis lançou dois albuns de pop-dance que, pelo jeito, não renderam muito. Aí ela foi para Los Angeles, se juntou com o Glen Ballard (que também escreveu algumas músicas do Michael Jackson), abraçou o rock n'roll e o resto é história.

Jagged Little Pill ganhou 2 Grammys (Album do Ano e Melhor Album de Rock) e certamente está na minha lista de albuns que gosto de escutar de ponta a ponta.

Cheguei a acompanhar os dois albuns seguintes da Alanis (inclusive a fase zen-na-India) mas depois deixei para lá. (Acho que minha prima ainda é fã).

Jagged Little Pill fez 20 anos em 2015 e quem escutou esse album inúmeras vezes sabe que ninguém melhor do que a Alanis para dar conselhos do coração (You Learn é o melhor exemplo - "I recommend biting off more than you can chew to anyone... You live, you learn...").

Então vamos saber o que diz You Oughta Know.

Essa música é a segunda do album, vem logo depois da ótima All I Really Want, e já mostra ao que veio. A Alanis compôs essa música para um ex-namorado e todos sabemos que dor de cotovelo rende ótimas músicas e albuns inteiros (né, Adele?). Esse album produziu alguns hits, acontece que You Oughta Know não era para ser um deles, pelo menos não intencionalmente, mas Alanis chegou na radio americana com tudo, jogou o rock alternativo na cara do R&B da época (Mariah e cia) e veio cheio de girl power.

Essa música fez sucesso porque: 1) pessoas se identificam e 2) é cheia de sentimento, principalmente raiva, e nada melhor do que uma música para cantar junto, socar tudo e colocar raiva para fora.

Tem baixaria? Claro. É uma música barraco, então é baixaria poética.

(essa música entrou no meu top 5 músicas de fossa)

I want you to know
That I'm happy for you
I wish nothing but the best for you both

Ela começa essa música fofa, educada, suave. Diz que está feliz por ele e que só deseja o melhor para ele e sua nova namorada. Aham, sei.

An older version of me
Is she perverted like me
Would she go down on you in a theatre
Does she speak eloquently
And would she have you baby
I'm sure she'd make a really excellent mother

Aí ela não se segura, sabe que foi trocada por uma mulher mais velha e vai logo fazendo perguntas diretas cheias de sarcasmo (adoro): "Ela é pervertida como eu? Ela te pagaria um boquete num teatro/cinema? Ela é eloquente? Ela teria um filho seu? Tenho certeza que ela será boa mãe." PAH!

'Cause the love that you gave that we made
Wasn't able to make it enough for you to be open wide, no
And every time you speak her name
Does she know you told me you'd hold me 
Until you died, 'til you died
But you're still alive

"Porque, querido, aparentemente o amor que você deu e que fizemos não foi o suficiente para você se abrir." Eita. "E vem cá, fofo, ela sabe que você disse que ficaria comigo até você morrer?? Hein??". Mas ele ainda está vivo.

And I'm here to remind you
Of the mess you left when you went away
It's not fair to deny me
Of the cross I bear that you gave to me
You, you, you oughta know

O refrão cheio de sentimento. O rock entra pesado nessa parte porque tem que ser uma cacetada para que o carinha lembre de toda besteira que fez, bagunça que deixou quando foi embora e a cruz que ela ainda carrega. PAH PAH PAH!
Dave Navarro (do Jane's Addiction) e Flea (do Red Hot Chilli Peppers) tocaram guitarra e baixo respectivamente nessa música.

You seem very well
Things look peaceful
I'm not quite as well, I thought you should know

Ela se acalma (mas nem tanto) e diz que ele parece bem, em paz, MAS que ele deveria saber que ela não está tão bem assim.

Did you forget about me Mr. Duplicity
I hate to bug you in the middle of dinner
It was a slap in the face how quickly I was replaced
Are you thinking of me when you fuck her

E vem com força falando verdades: "Esqueceu de mim Sr. Falsidade?? Desculpa estragar seu jantar mas a rapidez com a qual você me substituiu foi um tapa na cara. E, vem cá, você pensa em mim quando transa com ela?".

'Cause the love that you gave that we made
Wasn't able to make it enough for you to be open wide, no
And every time you speak her name
Does she know you told me you'd hold me 
Until you died, 'til you died
But you're still alive

And I'm here to remind you
Of the mess you left when you went away
It's not fair to deny me
Of the cross I bear that you gave to me
You, you, you oughta know

Aí ela repete essa parte e o refrão porque a gente precisa balançar a cabeça, gritar e socar algumas almofadas.

'Cause the joke that you laid in bed that was me
And I'm not gonna fade
As soon as you close your eyes and you know it
And every time I scratch my nails down someone else's back
I hope you feel it, well can you feel it?

A música dá uma aliviada como se ela estivesse pensando se é isso mesmo que ela quer dizer ou um tempinho para respirar antes do golpe final. E ela resolve ativar o modo revenge: "Você achou que eu era uma piada mas assim que você fechar os olhos não vou sumir tão fácil. E TODA vez que eu enfiar minhas unhas nas costas de outro carinha espero que você sinta. Está sentindo?" PAH!

And I'm here to remind you
Of the mess you left when you went away
It's not fair to deny me
Of the cross I bear that you gave to me
You, you, you oughta know

"Só estou aqui para te lembrar que você fez merda e não pode negar essa cruz que ainda carrego." Voce precisa saber!
(Mas estou colocando a raiva para fora e vou te esquecer já já, depois de arranhar algumas costas alheias).


E no video temos Alanis gritando no meio do deserto, balançando muito a cabeça e trocando de roupa várias vezes.




Essa música é ótima para correr.