26.5.17

+ Filmes

Get Out

Fui ver esse filme sem saber do que se tratava. Achava que era um filme de terror, mas está mais para um suspense bom como os do Shayamalan nos aureos tempos do Sexto Sentido, Corpo Fechado e Sinais.

Mas Get Out, ou Corra! como saiu em português, não tem nada de sobrenatural, somos nós humanos mesmo que metemos medo uns nos outros.

É daqueles filmes que não dá para falar muito sem entregar, mas adianto que é sobre um rapaz negro que vai conhecer a família da namorada branca e chegando lá as coisas não são bem o que parecem. Eu sei que essa é a trama de uns 200 filmes, mas é isso mesmo.

Só sei que tomar chá mexendo com a colher batendo no canto da xícara nunca mais.

A Tia Helô sabe do que "eles" são capazes, 629 "Ai, Jesus!" para Corra!

Rei Arthur

A lenda do Rei Arthur é bem conhecida, e nesse filme o Guy Ritchie usa seu estilo cinematográfico para contar sua versão.

O Arthur é filho do Rei Uther que trouxe a paz entre os reinos (incluindo os magos) mas seu irmão Vortigern queria o poder e conseguiu tirar o Rei do trono.

Rei Uther antes de morrer conseguiu mandar seu filho Rio Tamisa abaixo até uma Londres que ainda era Londinium. Arthur é criado por umas prostitutas, cresce no bairro aprendendo a brigar, se virar e fazer uma graninha com seus amigos.

Um dia a maré seca e a Excalibur (que era a espada do Rei Uther, cheia de mágica) aparece fincada numa pedra e só o herdeiro legítimo do trono irá conseguir tirá-la de lá. Rei Vortigern com muita raiva decide chamar todos os súditos com idade suficiente para ser seu sobrinho para ir até lá tentar. Nessa o Arthur acaba lá e PÁ tira a espada da pedra.

Daí temos muitas brigas, lutas, mágica, cobras gigantes, até o Arthur construir sua mesa redonda.

Achei esse filme divertido, quando o Guy Rutchie faz o que sabe, dialogos e cortes rápidos e lutas em camera lenta, o filme fica interessante, mas quando ele entra na linha meio Senhor dos Anéis fica estranho. Mas acho que o Charlie Hunnam shirtless vale o ingresso.

A Tia Helô devia gostar da história do Rei Arthur, menos a parte dos magos. 316 "Ai, Jesus!" para aquela senhora com tentáculos no fundo do rio.

Alien Covenant

Eu não sei vocês, mas o Alien é um dos ETs cinematográficos que mais tenho medo. Essa é uma série de filmes clássica que começou em 1979 com Alien, depois em 1986 teve Aliens (no plural, muitos deles, e muita ação), Alien3 de 1992 é quase um terror psicológico, Alien Resurrection de 1997 é o mais fraco de todos (Ripley clonada). Aí o Ridley Scott fez o George Lucas resolveu contar tudo que aconteceu antes do primeiro Alien atacar Ripley e seus companheiros, quis explicar o que aconteceu e lançou o Prometheus em 2012 (que se passa uns 30 anos antes do Alien).

Prometheus é um filme ok que conta como alguns humanos (e um androide, o David) chegaram num planeta e encontraram uma nave e descobrem que uns "engenheiros" estavam desenvolvendo uma espécie de arma biológica. A gente sabe que isso nunca termina bem. Pula para 2017 e o novo filme Alien: Covenant, que se passa 10 anos depois de Prometheus.

Covenant é uma nave colonizadora, ou seja, carrega milhares de pessoas que vão colonizar um novo planeta e está todo mundo dormindo menos o Walter, o novo androide que fica lá cuidando dos botões. Só que a nave tem um problema e os tripulantes são acordados para resolvê-lo. Acontece que no processo de acordar o capitão da missão morre e o que assume o lugar decide ir atrás de um sinal que receberam (uma voz humana). Quando chegam no planeta parece estar tudo bem até....bem daqui pra frente seria spoiler qualquer coisa que eu contasse.

Só vou dizer que Covenant explica muita coisa, mais do que Prometheus.

A Tia Helô ia passar 80% do tempo com os olhos tapados mas acho que ela ia gostar do David e do Walter, afinal quem não gosta do Michael Fassbender? 527 "Ai, Jesus!" para esse pessoal que insiste em criar vida artificial.

Nenhum comentário:

Postar um comentário