9.5.17

Guardiões da Galaxia Volume 2



O Guardiões da Galáxia Volume 1 fez tanto sucesso que ganhou uma continuação.

Nesse segundo filme o Peter Quill (Chris Pratt lindão e carismático) e amigos são mercenários e começam o filme em uma missão de recuperar umas baterias para um povo dourado. E como isso acontece? Ao som de Mr. Blue Sky da ELO que está na segunda fita que o Peter Quill tem. Som na caixa, Baby Groot dançando e vamos destruir um monstro que parece aquela minhoca de Dune.

Peter e amigos devolvem as baterias, mas o Rocket (Bradley Cooper faz um excelente trabalho de voz) rouba tudo e os guardiões se metem em muitas confusões com o povo dourado.

Eles são salvos pelo Ego (Kurt Russell, ótimo!) que é o pai ET do Peter Quill e o grupo se divide em dois. Peter, Gamora e Drax vão até o planeta do Ego ao som de My Sweet Lord do George Harrison para que pai e filho possam reconectar. Rocket e Baby Groot ficam num planeta qualquer para consertar a nave mas eles acabam numa rixa com Yondu e sua galera (que foram contratados pelo pessoal dourado para recuperar as baterias) ao som de Southern Nights.

No primeiro filme ficamos sabendo que depois que a mãe do Peter morreu ele foi sequestrado pelo Yondu, um ET azul, e não foi entregue a quem deveria. Nesse filme descobrimos que o pai do Peter contratou o Yondu mas nunca recebeu o Peter (que acabou virando ajudante do Yondu).

Esse filme é tão divertido quanto o primeiro, Baby Groot é estrela, tem umas participações especiais boas, tem plot twist, partes emocionantes e o Kurt Russell até faz um Analisando a Música de Brandy da Looking Glass.

Além das que já citei acima, a trilha sonora do Volume 2 tem as ótimas: The Chain do Fleetwood Mac, Father and Son do Cat Stevens, Come a Little Bit Closer do Jay Americans, e Wham Bam Shang a Lang do Silver. São músicas menos conhecidas do que as do Volume 1, e um pouco mais melancolicas, mas essa trilha também é muito boa e já está na minha lista de corrida.

A Tia Helô iria ficar hipnotizada com o Baby Groot e mesmo com tantas explosões e cenários hippies (planeta do papai Ego) ela diria uns 202 "Ai, Jesus!" para Peter Quill e sua turma.

Nenhum comentário:

Postar um comentário